Saiba como reduzir a conta de luz em tempos de reajustes

28 mar 2016

Saiba como reduzir a conta de luz em tempos de reajustes

 

Painel Solar

Diante dos reajustes assustadores nas faturas de energia elétrica do ano passado, qualquer redução de custo vale ouro. E as alternativas para economizar eletricidade vão muito além dos simples atos de retirar eletrodomésticos das tomadas ou de apagar as luzes. Medidas de eficiência energética, como trocar lâmpadas convencionais por LED, ou a instalação de painéis fotovoltaicos nos telhados, podem reduzir a conta em mais de 50% ou até mesmo fazer com que os consumidores obtenham crédito com as concessionárias.

Dados da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) apontam que o Brasil desperdiça, aproximadamente, 53 terawatts-hora por ano. Este montante representa perda anual de R$ 22 bilhões, o equivalente a 60% de toda energia produzida por Itaipu por ano ou, ainda, todo o consumo de Pernambuco e Rio de Janeiro em 12 meses. Existe, portanto, espaço para uma economia de 10% no consumo geral de energia do país, sendo 15% no residencial, 6,2% no industrial, 11% no comercial e 10% em outros setores.

Várias empresas e órgãos públicos aproveitam o espaço possível de economia e estão trocando lâmpadas convencionais por LED. Felipe Martins, especialista em eficiência energética e sócio-diretor da LedLuxe, explica que, dependendo do modelo das lâmpadas e do projeto, é possível reduzir em até 50% a conta de luz. “Atendemos vários órgãos públicos e 12 mil escolas com iluminação sustentável. Há economia também na manutenção, porque as lâmpadas de LED têm durabilidade de até 10 anos”, explica. Além disso, é possível jogá-las no lixo comum, porque não têm mercúrio, cádio e chumbo, presentes nas fluorescentes, que geram custo extra no descarte.

A troca propicia ainda, em ambientes residenciais, economia com o uso de reatores, já que o sistema de LED não usa esses aparelhos, que custam, cada um, R$ 50, e têm cinco anos de duração. A lâmpada fluorescente tubular, de R$ 2,50, necessita ser trocada a cada dois anos. As de LED são mais caras, mas compensam pela qualidade. “A substituição garante a mesma luminosidade, com baixo consumo e maior durabilidade”, explica Martins, responsável pelo projeto no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e  dos Territórios (TJDFT).

Texto integral disponível em: Correio Braziliense-Saiba como reduzir a conta de luz em tempos de reajustes.

Deixe uma resposta